..........and believing that tomorrow will be better, even with tears ready to fall ,have to smile so that anyone else feel our pain.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Coreia do sul, ilha de Jeju

Estou sempre a ouvir nos k-dramas eles a falarem da ilha de Jeju então hoje vou falar um pouco dela

Jeju é a menor província da Coreia do Sul, e a maior ilha do país, é uma província especial autónoma,de origem vulcanica,esta localizada no Estreito da Coreia,a sul da Península da Coreia,Jeju tem uma área de 1845,55 km² e uma população de 560 000 habitantes,a capital é a cidade de Jeju (제주시; 濟州市; Jeju-si).A província autónoma foi criada em 1946, por separação da província de Jeolla Seduk.Em 1 de Julho de 2006  passou a província especial autónoma, a única região da Coreia do Sul com este estatuto.

Nessa pátria a ilha é conhecida por seus ventos fortes, por suas fantásticas formações rochosas e pela estraordinária beleza das mulheres desse local. Os apaixonados por desporto,apreciam a ilha pelo gigantesco estádio de Seogwipo construído para o Campeonato Mundial de Futebol de 2002. As raízes da história de Jeju-do começam no final do primeiro milenio, quando passou a ser domínio do Império Coreano (937), nomeada de Tamra até o ano de 1200. Durante a longa regência da dinastia Joseon (1392-1910), a ilha foi local de exílio para todos os prisioneiros políticos. O primeiro europeu a chegar foi o navegador holandês Handrik Hamel, que aqui pisou em 1653 e a nomeou de Quelpart.
Ao final da Segunda Guerra Mundial, em 1946, a ilha foi separada da província de terra firme de Jeollanam-do que agora constitui uma entidade territorial e administrativa. Composta de mais de 26 ilhotas do circundário. O turismo veio a conhecer um certo desenvolvimento somente nos últimos dez anos, do momento que por motivos políticos até o último século a zona era praticamente inacessível do resto do Império. Uma outra consequência desse isolamento é que o xamanismo ( que venera divindade de 1800) continua ainda a religião mais comum.Ao centro de Jeju-do destaca-se o Monte Halla (1950 metros acima do nível do mar), um vulcão. Neste momento inativo que deu vida a ilha com cinco erupções. No alto da montanha são presentes mais de 360 crateras secundárias .
Na antiguidade a tradição queria que os agricultores e o pastor da região, que conduziam o rebanho de ovelhas e vacas , se enterrassem no local em que viveram: seus túmulos são ainda visíveis. Essa área forma o Parque Nacional de Hallasan, inaugurado em 1970, em seu interno conserva-se outras 1800 espécies de vegetais e 4000 espécies de animais (de qual 3000 são espécies de insetos). Sua vegetação subtropical confere a inteira ilha um aspecto paradisíaco, desde montanha , praias e até penhascos de rochas vulcânicas. Aos pés do Monte Halla, sudoeste, surge a cidade-museu de Seongeup, que conserva e põe a mostra as tradições artísticas-culturais coreana. Os habitantes da ilha são extremamento fiéis da beleza de aquila que eles consideram a verdadeira parola da natureza, um mundo mágico e milagroso que, mesmo tendo sido transformado num lugar turístico muito apreciado nos últimos anos, ainda consegue manter uma atmosfera incontaminada. São muitas os jovens casais provenientes das províncias penínsulares e em particolar da caótica capital Seul que escolhem essa destinação para a sua lua de mel. Esses mesmos jovens, e especialmente os turistas estrangeiros, poderiam surpreender-se ouvindo um apito de longe, parecido aquile de um trem, quando se encontram em algumas de suas praias: se trata na verdade de Haenye, as mulheres do marle donne del mare,que pescam frutos do mar e emergem da água emitindo um som melódico "sumbisori".
Essa profissão ocupa cerca de 6000 mulheres a Jeju-do: trabalham sem auxílio de equipamento para respiração em até 20 metros de profundidade, munidas somente de óculos e pé-de-pato. Com um pouco de sorte podemos encontrar essas sereias nas melhores horas de pesca, ou seja, ao nascer do sol ou ao pôr do sol. A capital se incontra na parte setentrional da ilha, onde os maravilhosos penhascos Yongduam (Yong = dragão) e Hyunmu-am oferecem um lindíssimo panorama. A Jeju-si podemos visitar o Tamna Mokseokwon, um jardim privado com árvores magníficas e pedras com formas muito bizarras recolhidas nas praias cerca de Seogwipo à partir do ano sessenta. No Jardim Hall a pode-se ainda admirar milhares de espécies vegetais, muitas em vias de extinsão, entre eles os raríssimos exemplares de Michelia Compressa, Euchresta Japonica e Chloranthus Glaber. No Museu Popular de Jeju-si vem ilustrada a história da ilha atraverso de milhares de objetos de exposição , dos costumes tradicionais do célebre Haenyeo até o importante Musin, estátua dos Deuses em custódia.


Sem comentários:

Enviar um comentário

por vezes é difícil concordar com o que escrevo podes deixar a tua opinião deste que não digas palavrões é na boa gosto quando os miguitos comentam o que escrevo beijokas fofas fiquem bem